Novas gírias dos jovens

Li uma reportagem bastante interessante que saiu na Deutsche Welle, sobre uma pesquisa feita todos os anos ,onde mostram  as novas palavras jovens da Alemanha. Essas palavras fazem parte de uma pesquisa da Langescheidt e nesse mês saíram as 10 finalistas de 2015. Achei bastante divertido e interessante, principalmente para os jovens que estão indo estudar nesse país.

Merkeln: A língua alemã teoricamente permite transformar qualquer palavra em verbo acrescentando-se um “en” ou “n” no fim. A juventude do país fez uso criativo desse potencial com o nome da chefe de governo Angela Merkel. Para fins nada lisonjeiros: “merkeln” significa não tomar uma decisão, vacilar, hesitar em expressar opiniões próprias.

Rumoxidieren: Por falar em fazer nada: a versão jovem de relaxar é “rumoxidieren”. “Ah, estou só oxidando por aí…” Ou seja, apenas deixando as próprias células interagirem com o oxigênio do ar. E, pelo jeito, sem nem se preocupar com o fato de a oxidação também ser o processo químico que faz o vinho azedar e os metais enferrujarem…

Krimmen: Outro verbo inspirado pela política recente: numa referência à crise entre a Rússia e a Ucrânia, que levou à anexação da península da Crimeia (“Krim” em alemão) por Moscou, “krimmen” significa tomar de volta algo que se havia dado anteriormente a alguém. Até com violência, se necessário.

Skylern: Não só a política inspira os neologismos alemães: também o “show business” está presente na lista sugerida para o concurso organizado pela editora Langenscheidt. Num outro nome próprio que virou verbo, a “homenageada” é Skyler White, personagem da série de TV “Breaking Bad” (na foto, atriz Anna Gunn). “Skylern” é irritar, encher o saco de alguém.

Earthporn: Se a beleza natural desta foto fascina você, ela é candidata a “Earthporn” (pornô da Terra, em inglês). A juventude alemã escolheu a palavra seguindo a linha das internacionais “food porn” e “car porn”. Os jovens alemães usam “porno” como adjetivo para “sensacional, interessante, muito bom”.

Smombie: Quem não conhece vários deles? “Smombie” combina “smartphone” e “zombie” (zumbi) para indicar aqueles que atravessam o mundo de nariz perigosamente enfiado no celular – na verdade sendo bem menos “smart” do que pensam.

Tinderella: Permanecendo no mundo da tecnologia: o aplicativo Tinder cruza dados do Facebook para indicar a presença de almas gêmeas nas vizinhanças dos usuários. O número de meninas na Alemanha que gastam seu tempo vasculhando o aplicativo de contatos deve ser enorme. Tanto, que já receberam de seus companheiros de geração um apelido: “Tinderella” – Cinderelas do mundo virtual à cata do Príncipe Encantado.

Swaggetarier: Assim como outras concorrentes a Palavra Alemã Jovem do Ano, “Swaggetarier” se baseia num termo inglês. “Swag” é a gíria que tomou recentemente o lugar de “cool” no sentido de excelente, fantástico. A inovação dos adolescentes alemães foi combiná-la com “Vegetarier” (vegetariano), numa alfinetada naqueles que basicamente só adotaram a dieta sem carne para realçar a própria imagem.

Discopumper: Igualmente gozador, o epíteto “Discopumper” combina “discoteca” (quem se lembra?) e “bombeador”, para designar os que cuidam obsessivamente dos músculos só com o fim de fazer sucesso nas baladas. Uma característica externa deles parece ser se concentrar no bíceps e tórax, esquecendo-se do resto e acabando como Hulks de pernas finas.

Bambus: Não só os pandas acham o máximo: “Bambus” (singular em alemão e pronunciada “bâmbus”) vem sendo usada por muitos adolescentes do país para expressar aprovação extrema: maneiro, bacana, legal, joia, show de bola… “Bambus”!

Goodnight mommy

Para aqueles que gostam de filmes de terror, tem uma sugestão de um filme austríaco que ainda não tem uma data para chegar ao Brasil, mas que promete ser muito assustador.
Desde que foi lançado nas bilheterias austríacas em janeiro vem sendo um sucesso de crítica. Leiam a sinopse por Geraldo Fraga:
Numa casa isolada, em algum lugar da Áustria, os gêmeos Elias (Elias Schwarz) e Lukas (Lukas Schwarz), de nove anos, esperam a mãe (Susanne Wuest) retornar ao lar, após passar por uma cirurgia plástica. Porém, ela volta diferente: omissa e agressiva. Com o rosto enfaixado, devido ao procedimento cirúrgico, a mulher começa a alimentar a dúvida dos garotos se, de fato, é sua mãe mesmo quem está ali.