Alguns fatos sobre a cerveja na Alemanha

Inspirada por alunos que moram na Alemanha e me contam que tem dificuldades, na hora de pedir uma cerveja no Bar (Kneipe), preparei algumas dicas e curiosidades sobre as cervejarias e ou cervejas na Alemanha..
Que a Alemanha é famosa pela cerveja, ninguém duvida. Mas aqui estão algumas coisas que você não sabia sobre a cerveja no país e que todo bebedor deveria saber antes de virar o caneco.

Lei de pureza é coisa do passadefaultdo

A Alemanha é pelo menos tão famosa por sua obsessão pelas regras quanto por sua cerveja. O antigo Preceito de Pureza, decretado há quase 500 anos, estipula que a bebida deve conter apenas água, lúpulo, malte e levedura. Mas, ao contrário do que muitos creem, ele já não vigora mais, tendo sido anulado pela União Europeia em 1987. Apesar disso, muitos cervejeiros ainda seguem a receita tradicional.

Artesanais em alta

Apesar do Preceito de Pureza (Reinheisgebot) ter caído há quase três décadas, nos últimos anos as cervejas artesanais decolaram. Seu mercado cresceu sobretudo em Berlim, onde parte dos novos cervejeiros são de fora do país.

Campeões de consumo são outros

Embora a Alemanha produza um terço das 15 mil variedades de cerveja do mundo e ostente 1.500 cervejarias, os alemães não levam a medalha de ouro em termos de consumo. No país, cada um “só” bebe uns 110 litros (de 300 a 320 cervejas) por ano. A campeã mundial de consumo, com 140 a 150 litros per capita, é a República Tcheca – afinal, país da pilsen.

Preste atenção onde você está

Pode-se pedir cerveja em qualquer bar na Alemanha – mas não qualquer cerveja. Muitos só oferecem a variedade local mais uma pilsen. Se você pedir “Ein Bier, bitte”, o garçom não vai perguntar qual tipo, mas sim trazer uma caneca ou copo da cerveja local. Em Munique, será uma Hefeweizen ou “Helles”; em Colônia, uma Kölsch, em Hamburgo, uma Astra, e assim por diante.

O copo certo

Não é apenas importante pedir a cerveja certa em cada cidade: cada variedade de cerveja tem seu tipo apropriado de recipiente. A Kölsch, por exemplo, vem num copo de vidro fino de 200 ml. A Hefeweizen se bebe ou numa tulipa de meio-litro, abaulada no alto, ou na caneca tradicional. O copo da pilsen mais parece uma taça de vinho com uma barriguinha de cerveja.

Cerveja… e o que quer que seja

Num país que colocou sob decreto os ingredientes da cerveja, pode-se pensar que todos são puristas. Porém mesmo o alemão mais beberrão de vez em quando mistura a sua cerveja com coisas inimagináveis em outros lugares. Cada combinação tem seu nome especial: o “Radler” é com soda limonada ou Sprite; há inúmeros apelidos para a cerveja com coca-cola. E uma “russe” é metade Hefeweizen, metade Sprite.

Não jogue a garrafa fora

Também famosos por sua consciência ecológica, os alemães são ávidos recicladores. Em geral se paga um depósito por todo casco, como incentivo para que ele seja devolvido, em vez de jogado fora. Como cada garrafa plástica vale 0,25 euro e as de vidro, 0,08 euro, é preciso beber muita cerveja para fazer a viagem de volta até o supermercado valer a pena. Portanto, “prost”!
FONTE

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *