Palavras alemãs no cotidiano brasileiro

Muitas palavras ditas por nós brasileiros tem a sua origem na língua alemã. O idioma alemão está mais presente no nosso dia dia do que se imagina. Além de termos como blitz, kitsch ou diesel, outras palavras, como encrenca, chique e até mesmo o nome da Torre Eiffel, têm origem germânica. Seguem algumas palavras e suas origens.

Química e guerra

Boa parte das palavras alemãs presentes no nosso cotidiano está ligada ao setor militar ou a elementos quím0,,18481270_303,00icos, fato explicado pela autoridade que a Alemanha, durante muito tempo, exerceu nessas áreas. O que nem todos sabem é que na língua portuguesa, como também em outros idiomas, palavras que nada têm a ver com química ou guerra e que não soam alemãs também têm origem germânica

Torre Eiffel

A família de Alexandre Gustave Eiffel, engenheiro que deu nome à celebre construção parisiense, veio d0,,18282078_303,00e uma área montanhosa no oeste alemão chamada Eifel. Na verdade, seu sobrenome era Bönickhausen, algo impronunciável para muitos franceses. A família adicionou, então, o nome da região de origem e passou a se chamar Bönickhausen Eiffel. E o engenheiro entrou para a história com o novo sobrenome.

O que é isto?

Numa competição de migração de palavras organizada pelo Conselho da Língua Alemã (Deutscher Spra0,,15758091_303,00chrat), pessoas de 70 países sugeriram termos germânicos que “viajaram” para outros idiomas. Das seis mil palavras apresentadas, a mais recorrente foi “vasistas”, termo francês para janela basculante ou claraboia. A palavra vem do alemão “was ist das?” – literalmente, “o que é isto?

Encrenca

Nem todos sabem que a palavra “encrenca” tem origem alemã. Quando achavam que um cliente tinha0,,19071376_303,00 uma doença venérea, as prostitutas que chegaram ao Brasil no final do século 19 e que falavam iídiche, um dialeto alemão da Europa Central, falavam “ein krenke” (“krank” significa doente em alemão). Assim nascia o termo “encrenca”, usado hoje no português do Brasil para designar uma situação difícil.

Níquel e cobalto

Níquel e Cobalto, do alemão Nickel e Kobalt, eram gnomos que habitavam, na crença dos mineiros da Idade M0,,17549559_303,00édia, as montanhas alemãs. Os trabalhadores medievais acreditavam que espíritos maus (“Kobold” em alemão) eram responsáveis pela presença de níquel e cobalto, considerados impurezas, na prata, no ferro e no cobre.

Chope não é cerveja

O chope de cada dia não tem a ver, na sua etimologia, com a palavra cerveja. Trata-se de uma unidade de med0,,17651347_303,00ida originada do alemão “Schoppen”, equivalente a cerca de meio litro. O termo foi integrado ao português através do francês, depois que a corte portuguesa, fugindo de Napoleão, chegou ao Rio de Janeiro, no início do século 19.

Schick, chic e chique

Já a palavra chique, considerada por muitos um patrimônio da língua francesa, é na verdade um termo alemão0,,18873979_303,00 que chegou ao português através do francês. Muito antes de os costureiros franceses arrasarem nas passarelas, os alemães usavam expressões como “schicklich” ou “sich schickt” para designar apropriado ou bem arrumado. No alemão medieval, a palavra “schick” significa forma, costume.

Fanta

Devido à escassez de matéria-prima, a Coca-Cola da Alemanha foi impedida de produzir seu principal produto0,,18595571_303,00 durante a Segunda Guerra. Para garantir a própria subsistência, a companhia desenvolveu um novo refrigerante, que na época era feito à base de soro de leite. Um concurso entre os empregados da empresa resultou no nome “Fanta”, pois a nova bebida era fantástica – em alemão, “fantastisch”.

Bulevar

Quando Luís 14 derrubou as muralhas de Paris, que se tornaram obsoletas para fins de defesa, mandou fazer 0,,18857854_303,00um anel viário ou bulevar ao redor da cidade. A origem do nome dos antigos baluartes vem do alemão “Bollwerk” – literalmente, paliçada, barreira. “Boulevard” era a forma como os franceses pronunciavam “Bollwerk”, termo que acabou dando nome às largas avenidas que substituíram as fortificações.

Blitz, hamster e kombi

Há muitas outras palavras de origem alemã, como blitz, de “Blitz” (raio); Kombi, de “Kombinationsf0,,17068994_303,00ahrzeug” (veículo combinado) ou hamster, de “hamstern” (juntar), devido às bochechas dos roedores que acumulam alimentos. Já o termo gás, que muitos creem ser de origem germânica, vem do holandês. A palavra foi cunhada pelo químico flamengo Jan Baptista van Helmont, a partir do termo grego “caos”.
FONTE

 

Dez souvenirs tipicamente alemães

Para fãs do estereótipo

Existem algumas curiosidades a respeito da cultura alemã. Aqui seguem algumas bem interessantes e divertidas.

Se você é daq0,,17021365_302,00uele que acredita em clichês e espera encontrar gente caminhando pelas ruas da Alemanha de Lederhosen (calças de couro), está enganado. O estereótipo talvez mais conhecido do país geralmente só pode ser encontrado no sul – e em ocasiões especiais. Em lojas de departamento, a tradicional calça bávara pode ser achada por 65 euros.

Doce memória

0,,16627014_302,00A Haribo inventou as tradicionais balas de goma em 1922, mas a receita varia de país para país. Fãs dizem, por exemplo, que a versão alemã é mais frutada que a americana. Fato é que sacos das balinhas são comuns nas malas de turistas. Talvez não mais por muito tempo nas dos brasileiros – a Haribo anunciou no ano passado a abertura de uma fábrica no país.

Era uma vez…

A Rota Ale0,,17007720_302,00mã dos Contos de Fadas cobre uma série de cenários das histórias dos irmãos Grimm. Se um dia você decidir percorrê-la, não será difícil achar cópias bem trabalhadas dos “Contos de Grimm” (“Kinder- und Hausmärchen”), com histórias como Branca de Neve e Chapeuzinho Vermelho. Traduções existem em mais de 160 línguas.

Homenzinho do semáforo

Foi o psicólogo Ka0,,16866418_302,00rl Peglau o criador do clássico sinal de pedestres da Berlim Oriental, conhecido como Ampelmännchen (homenzinho do semáforo). Com a Reunificação, em 1989, o símbolo corria o risco de desaparecer – autoridades tentaram unificar os sinais de trânsito no país. Mas ele sobreviveu. E agora é um dos símbolos da cidade – e pode ser visto também em forma de souvenir nas mãos de turistas

O relógio cuco

Esse presente ale0,,16109966_302,00mão é daqueles do qual não se esquece – ele vai te avisar da presença dele a cada hora. Modelos básicos feitos a mão podem se encontrados na Floresta Negra por menos de 200 euros, enquanto alguns luxuosos podem chegar a 3 mil euros.

Por que não uma currywurst?

Criada por u0,,15867305_302,00ma dona de casa de Berlim após a Segunda Guerra Mundial, o prato com salsicha, catchup, molho inglês e curry se tornou um fenômeno. Na capital alemã, há um museu inteiramente dedicado à famosa currywurst. Para os que não podem levar na bagagem as salsichas pré-prontas vendidas no mercado, é possível comprar o molho e preparar o prato em casa.

Enfeites de Natal

Muitos dos en0,,16443610_302,00feites natalinos que conhecemos têm origens na Alemanha. As bolas de Natal, por exemplo, foram inventadas por um soprador de vidro da cidade de Lauscha, no leste da do país, no século 19. No Museu Alemão do Ornamento de Natal, aberto em 2000 em Rothenburg ob der Tauber, não faltam ideias para  souvenirs.

Uma lembrança concreta

Antes um sí0,,17021257_302,00mbolo da opressão, os 155 quilômetros do Muro de Berlim se tornaram um requisitado souvenir. Em pontos turísticos da cidade, é comum ver vendedores oferecendo pedaços de concreto pintados como sendo parte do Muro. O Memorial do Muro de Berlim, no entanto, alerta: eles provavelmente são falsos. É possível, porém, levar para casa outras lembranças relacionadas à divisão das Alemanhas.

As figuras Hummel

As famos0,,17021355_302,00as figuras de porcelana Hummel foram criadas no início do século por Berta Hummel, que morreu sem ter visto o sucesso de sua criação. Produzidas em Coburg, as figuras ganharam fama quando soldados americanos as enviaram como presente para a família. Os bonecos encantam até hoje milhares de pessoas pelo mundo. O clube Hummel, por exemplo, conta com mais de 30 mil colecionadores cadastrados.

Prost!

Não é apenas impo0,,17021373_302,00rtante pedir a cerveja certa em cada cidade na Alemanha: cada variedade tem seu tipo apropriado de copo. Mas que maneira melhor de apreciar a bebida-símbolo do país do que numa tradicional caneca alemã – seja de pedra, porcelana, vidro ou peltre. Algumas têm uma elegante tampa, que pode ser aberta com um simples movimento de polegar.

FONTE

Aulas por Skype

Você já pensou em ter aulas por Skype?
Essa ferramenta tem facilitado muito a vida das pessoas que querem ter aulas de uma língua estrangeira, mas não tem muito tempo a perder!
Dessa forma, é possível aproveitar a sua hora de almoço no trabalho, aquele tempinho em que os seus filhos estão na natação ou simplesmente evitar um deslocamento no trânsito!
E pra mim é bom, que posso dar aulas pra pessoas que moram pertinho ou longe de mim!
As aulas rendem muito e têm material de apoio!
São individuais e você pode fazer um teste de 30 minutos, sem compromisso, Que tal?
d2f59697-0206-403c-9dff-f9d0b2a17bda
Manda um email pra gabriela@estudealemao.com.br

Deutscher Karneval

A Alemanha tem uma longa tradição de brincar o carnaval. Claro que é um carnaval bem diferente quinternacional-carnaval-alemanha-20131111-07-originale o nosso, mesmo porque nessa época lá é inverno. Todos os dias de carnaval (de quinta á quarta feira de cinzas) tem comemoração. Os principais dias são quinta feira “Weiberfastnacht” e segunda feira ” Rosenmontag”. A terça feira que eles chamam de “Faschingdienstag” e a quarta feira de cinzas” Aschermittwoch” são igualmente comemorados e é quando se encerra o carnaval.
Um dos lugares mais conhecidos e frequentados no carnaval é a cidade de Köln (Colônia), que tem desfiles com carros alegóricos (que normalmente tem um cunho político),marchinhas de carnaval e muita fantasia. Obviamente bem quentes para não passarem frio no inverno. Durante o desfile é também sempre distribuído doces e balas pelos foliões. Se voce estiver por perto, vale a pena dar uma olhadinha no carnaval e aproveitar pra brincar também.

Eine Gruppe von kostümierten Frauen nimmt am 23.2.2004 mit Clowns an Marionettenseilen am traditionellen Rosenmontagsumzug in Köln teil. Der Rosenmontag ist Höhepunkt der sechs tollen Tage in den Karnevalshochburgen: Wenn die kilometerlangen Rosenmontagszüge durch Köln, Düsseldorf, Mainz und andere Städte rollen, säumen mehrere Millionen Menschen den Straßenrand. Bei Sonne, Wind und Schnee zeigten auch in diesem Jahr wieder Jecken und Narren, dass ihnen das Lachen sogar in Krisenzeiten nicht vergeht. Bei den größten Zügen in Köln und in Mainz nahmen die Jecken das Mautdesaster und die Superstars, die Praxisgebühr und die Fußball-Nationalmannschaft auf die Schippe. Auch in karnevalistisch weniger erschlossenen Regionen feierten die Fans der fünften Jahreszeit.FLYERs_carnaval

Regras que devem ser obedecidas

Dez regras sociais da Alemanha que todo estrangeiro deveria conhecer

Para aqueles que gostariam de morar na Alemanha, existem algumas regras  sociais que são muito relevantes para o povo alemão. Vou citar alguns que fazem parte do cotidiano deles e que merecm ser conhecidos, se bem que a maioria delas são iguais as nossas aqui no Brasil.

Re0,,15812895_302,00speite as diferenças

A sociedade alemã é construída com base no respeito e na tolerância. Os cidadãos são livres para seguir suas próprias preferências religiosas, sexuais, entre outras, desde que não violem os direitos de terceiros nesse processo. Homossexuais são respeitados, assim como pessoas de diferentes religiões – ou mesmo aquelas que não seguem religião nenhuma.

0,,16610214_302,00Respeite os direitos das mulheres

Na Alemanha, mulheres têm os mesmos direitos que os homens. Muitas vezes, elas são tão bem sucedidas em suas carreiras quanto eles. Mulheres podem se vestir como quiserem – seja uma roupa reservada ou uma mais ousada. A violência contra a mulher é proibida, e a lei vale naturalmente também dentro dos casamentos.

Não trabalhe sem permissão0,,17561946_302,00

Diferente de alguns países do Oriente Médio, da África, trabalhar na Alemanha sem uma permissão de trabalho é contra a lei. Se alguém for pego trabalhando nessa situação pode ser multado ou até mesmo preso. Não vale a pena arriscar.

Pague os impostos0,,16259405_302,00

O sistema tributário alemão é bastante complicado. Ainda assim, não pagar impostos é ilegal. De acordo com a lei, é considerado um “roubo contra a comunidade”. O pagamento de impostos é obrigatório, assim como o voto é um direito do cidadão. Estrangeiros que trabalham na Alemanha também precisam pagar impostos.

0,,18593507_302,00Crianças não podem apanhar

Bater em crianças na Alemanha é uma infração penal. Em casa ou na escola, o castigo que envolve violência, seja palmada ou pressão psicológica, não é aceito como uma forma de educar os pequenos. A lei é clara: “As crianças têm o direito de uma criação livre de violências. Punição física ou psicológica e outros tratamentos degradantes são proibidos”

…e elas têm d0,,18720174_302,00e ir à escola

Crianças em idade escolar não podem ficar em casa – muito menos trabalhar. Ao completar seis anos, elas precisam estar registradas em uma escola e comparecer às aulas. A partir daí, são pelo menos mais dez anos de estudos. Dispensas escolares por motivos religiosos não são permitidas na Alemanha.

Cuide do me0,,17733155_302,00io ambiente

Proteger o meio ambiente é importante para a maioria dos alemães. Muita verba tem sido investida na limpeza de rios e na melhoria da qualidade do ar. Reciclar também é importante. O lixo é cuidadosamente separado: papel, plástico, resíduos de comida e outros objetos não recicláveis devem ser jogados em lixeiras específicas, separadas por cores.

Não faça barulh0,,18722127_302,00o demais

Mesmo que você esteja em seu apartamento, curtindo a companhia de amigos que não vê há muito tempo, é de bom tom se preocupar com o barulho – evitando, assim, incomodar os vizinhos. Durante a noite, especificamente, isso pode rapidamente virar caso de polícia. Na Alemanha, é preciso manter o silêncio em casa entre as 22h e as 6h.

O que vale0,,17878986_302,00 é o preço da etiqueta

O ato de negociar preços mais baixos, ou pechinchar, faz parte da cultura de muitos países. Na Alemanha, porém, assim como no Brasil, o que vale é o preço determinado na etiqueta – seja em supermercados,farmácias ou na maioria das lojas. A internet, por outro lado, é um ótimo lugar para se procurar por descontos.

0,,18669071_302,00o chegue perto demais

Em muitas culturas, é comum abraçar, beijar e dar presentes às crianças da vizinhança. Mas, na Alemanha, tudo depende da permissão dos pais. Na dúvida, é melhor não se aproximar demais das crianças, mesmo que elas pareçam amigáveis com estranhos

FONTE